História da Fundação

A história da Fundação Ezequiel Dias se confunde com a de seu fundador Ezequiel Caetano Dias e com a expansão das atividades do Instituto Manguinhos, (hoje a Fiocruz, do Rio de Janeiro). Ezequiel ingressou no Instituto ainda muito jovem como ajudante acadêmico de Medicina. Em 1905, a pedido do diretor, seguiu para o Maranhão e passou a dirigir o Laboratório Bacteriológico da região. Após alguns meses, regressou ao Rio devido ao agravamento do seu estado de saúde e, de lá, foi encaminhado para Belo Horizonte, por recomendação médica.

Em 03 de agosto de 1907, foi inaugurada na capital mineira, na rua da Bahia, próximo à Praça da Liberdade, a Filial do Instituto Manguinhos.O objetivo era pesquisar, divulgar e ampliar as ações de saúde pública pelo Estado. Após a morte de Ezequiel Dias, em 1922, a Filial passou a se chamar Instituto Ezequiel Dias, em sua homenagem.

A produção de soros e vacinas, a realização de exames laboratoriais e o atendimento ao público faziam parte da rotina do Instituto. A biblioteca, local de estudo e de discussões científicas, era um atrativo à parte.

Em 1935 tiveram início as primeiras negociações visando a incorporação do Instituto Ezequiel Dias à estrutura do Estado. Um longo caminho foi percorrido nos diversos trâmites burocráticos entre o governo estadual e federal.

Em 1936 foi oficializada a transferência e o governo estadual anunciou a mudança do Instituto da Praça da Liberdade para a fazenda Gameleira, onde funciona até hoje. Em 1941 foram inauguradas as novas instalações, pelo então presidente da república, Getúlio Vargas.

Inauguração da sede da Funed na Gameleira

Na década de 60, iniciou-se o processo de produção de medicamentos, saindo da então linha artesanal para a produção industrial, que foi consolidado na década de 70. De lá para cá, a história da Funed foi marcada por momentos de conflitos e disputas, com altos e baixos, que direcionaram o seu rumo de atuação.

No entanto, especialmente nos últimos anos, a partir de 2003, a Fundação Ezequiel Dias passou de centro de pesquisa e uma fábrica de medicamentos de pequeno porte para uma das instituições mais importantes do Brasil, com ações voltadas para a proteção e promoção da saúde pública.

Isso só foi possível porque a instituição contou com a coragem e ousadia do novo Governo do Estado e dos seus próprios trabalhadores, homens e mulheres que acreditam na capacidade da instituição e na importância de sua missão institucional e, por isso, fizeram e fazem acontecer uma instituição pública de saúde de sucesso em nosso país.

Hoje, a Fundação Ezequiel Dias, enquanto órgão do sistema estadual de saúde, cumpre com excelência sua missão de participar da construção do Sistema Único de Saúde – SUS –, protegendo e promovendo a saúde. Os mineiros podem se orgulhar de ter, em Minas, um patrimônio da saúde pública e um bom exemplo para todo o país na produção de medicamentos e soros, na pesquisa em saúde pública e nas ações de vigilância sanitária, epidemiológica e ambiental.