Notícias e Destaques

De olho na copa

Mineirão
Estádio Mineiro já está pronto para receber os jogos da Copa. Crédito: Alexandra Martins / Secopa MG

Funed implementa ações para atuação em eventos em massa

Muitas doenças infecciosas, doenças transmitidas por alimentos, bioterrorismo e outras situações adversas de saúde estão associados a eventos com grande aglomeração de pessoas. Por isso, equipes de saúde de todo o Brasil já estão alerta para eventos como a Copa do Mundo de 2014 e a Copa das Confederações que serão sediados no país. Em Belo Horizonte, a equipe da Fundação Ezequiel Dias (Funed) vem se preparando já há alguns anos para atender as demandas de variados órgãos governamentais, prioritariamente os da saúde, com o objetivo de proteger e promover a saúde da população que irá circular pela cidade e pelo estado durante essas festividades.

“Inicialmente, elaboramos um plano de trabalho para atender às possíveis demandas de Vigilância Sanitária, Epidemiológica e Ambiental decorrentes desses eventos”, afirma o chefe da Divisão de Vigilância Sanitária da Funed, Kleber Baptista. Segundo ele, o plano foi apresentado ao colegiado responsável por endossar propostas de interesse da saúde da população. “Com o plano aprovado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e pelo Governo de Minas, damos início à execução das ações”, disse.

O plano prevê desde a ampliação da capacidade técnico-operacional dos laboratórios que realizam exames de diagnóstico de doenças e análises em alimentos, águas e outros produtos com risco à saúde; a capacitação de profissionais em todo o Estado, aquisição de insumos, articulação com outros órgãos até a implantação de novas metodologias analíticas.

De acordo com Chequer Buffe Chamone, coordenador da Divisão de Epidemiologia e Controle de Doenças da Funed, a equipe tem estudado o histórico epidemiológico e ambiental dos países de origem dos times que poderão jogar em Belo Horizonte. O objetivo, segundo ele, é conhecer as doenças mais comuns nos outros países e preparar para possível necessidade de exame de diagnóstico, fluxo de coleta e transporte de amostra biológica e encaminhamento a laboratórios de referência nacional e internacional para análise. “Não é motivo de alarde, mas sim de cuidados. E é isso que temos feito aqui em Minas. Estamos nos preparando para detectar precocemente eventos adversos que demandam uma resposta mais rápida dos agentes de saúde”, esclarece.

O recurso financeiro para execução do plano de trabalho foi disponibilizado pelo Ministério da Saúde e Agência Nacional de Vigilância Sanitária. O monitoramento do gasto será acompanhado pelo Tribunal de Contas da União.

Ações

No próximo dia 04, faltando pouco menos de 500 dias para a Copa, técnicos de laboratórios, farmacêuticos, biólogos e outros profissionais da Funed estarão reunidos na sede da instituição para compartilhamento do plano de trabalho. Durante o encontro, pretende-se apresentar a proposta que é composta, dentre outras tantas ações, de reformas e adequações de áreas físicas dos laboratórios da Funed, aumento do escopo de ensaios acreditados identificação das referências para as ameaças ou amostras de pacientes de alta patogenicidade, definidas responsabilidades, e planejadas a elaboração dos kits de coleta de amostras biológicas e ambientais que deverão ser enviados aos municípios.

“É o início de uma sensibilização dos funcionários. Não poderemos ser apenas espectadores desses eventos. Fazemos parte de um sistema público de saúde e devemos sempre servir à população”, afirma Kleber Baptista, chefe da Divisão de Vigilância Sanitária da Funed.

Durante o encontro, uma palestra vai alertar também sobre o risco de bioterrorismo. A Diretora dos Laboratórios da Funed, Rita Lopes Naveira, lembra que, em 2011, a Fundação analisou amostras suspeitas de contaminação por Antraz, uma doença infecto-contagiosa de origem animal, conhecida vulgarmente por peste da Manqueira ou mal de ano, sem registro no Brasil.

Naquele ano, a bactéria causadora da doença entrou em evidência por ter sido utilizada como arma biológica em atentados terroristas decorrentes da guerra entre o Afeganistão e os Estados Unidos. De acordo com a Diretora, a Funed estava apta a realizar aquele tipo de diagnóstico e isso garantiu tranquilidade à população. “Daí a importância dessa preparação. Teremos turistas de várias partes do mundo e lidamos nos laboratórios com muitos agentes biológicos”, esclareceu.

Após realização de seminário interno, a Funed prevê um evento com os vários setores governamentais envolvidos na preparação nacional, estadual e municipal.

Ações no Brasil

A preparação da área de saúde no Brasil para a Copa do Mundo está sendo acompanhada pela Câmara Temática da Saúde, coordenada pelo Ministério da Saúde que faz a interlocução com as 12 cidades e os estados onde serão realizados os jogos: Belo Horizonte (MG), Brasília (DF) Cuiabá (MT), Curitiba (PR), Fortaleza (CE), Manaus (AM), Natal (RN), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA) e São Paulo (SP).

Entre os objetivos da Câmara destacam-se a coordenação do planejamento de ações nacionais na área da saúde, estabelecendo diretrizes gerais e metas, ações estratégicas e o apoio às ações com os municípios-sedes.

Serviço:

Seminário preparatório para copa do mundo

Local: Auditório Central da Funed

Rua Conde Pereira Carneiro, 80

Bairro Gameleira

Belo Horizonte – MG

Horário: 14h

Texto: Marina de Castro

Atualizado em 30/01/2013