Notícias e Destaques

Viúva-marrom

Aranha do tipo viúva-marrom tem sido encontrada com maior frenquencia em Minas

Animal é pequeno, mas tem veneno tóxico que pode levar até a morte

A combinação de chuva e calor, além de aumentar a proliferação de mosquitos e pernilongos e, consequentemente, de doenças como a dengue, favorece o aparecimento de outros animais que também representam riscos para a saúde pública.  A aranha viúva-marrom (Latrodectus geometricus), por exemplo, é um animal pequeno, mas com veneno altamente tóxico e que tem sido encontrada com maior frequência em áreas residenciais no período chuvoso e de altas temperaturas.

“Até então, o aparecimento e captura dessa aranha em Minas era raro. Não tínhamos exemplares dela no Serviço de Animais Peçonhentos da Funed até o mês passado”, conta o chefe do Serviço, Rômulo Righi de Toledo. Segundo ele, depois que um exemplar do animal foi encontrado em Lagoa Santa, a Fundação Ezequiel Dias (Funed) entrou em contato com a Secretaria de Estado de Saúde e com o Hospital João XXIII para registro da incidência do animal do Estado.

“Ao fazer a notificação, ficamos surpresos ao saber que os acidentes com esse tipo de aranha têm sido cada vez mais freqüentes em Minas. Consequentemente, o aparecimento dela também”, disse. O perigo, segundo Rômulo, se deve ao fato de ser um animal muito pequeno – que mede de seis a 15 milímetros, no máximo – de fácil locomoção, com veneno altamente tóxico e cujo soro para tratamento ainda não é produzido no Brasil (atualmente é importado da Argentina).

“Essa espécie de aranha tece uma teia em formato de um balão que é facilmente transportada pelo vento. Costuma ser encontrada em jardins, materiais de construção e lugares sujos”, explica Rômulo Toledo. Ele diz que, apesar de pequena e de atacar somente quando é provocada, a picada da viúva-marrom pode provocar a morte, dependendo das condições imunológicas do paciente. “O veneno dessa aranha tem uma ação neurotóxica que atinge o sistema nervoso do homem, e, se não tratado em tempo hábil, o quadro clínico pode ser agravado ao óbito”, afirma.

Então, vale o alerta. Caso a aranha seja encontrada, ela deve ser encaminhada para o Serviço de Animais Peçonhentos da Funed. E em caso de acidentes, o paciente deve ser levado ao Hospital de Referência para esse tipo de tratamento que é o João XXIII, em Belo Horizonte. “Na Funed faremos a identificação do animal, prestaremos informações sobre prevenção e primeiros socorros em acidentes com este animal”, informa o chefe do Serviço de Animais Peçonhentos.

Sintomas

Os sintomas da picada podem variar de leves a graves. Os mais comuns são dor, edema e sudorese no local, além de dor nos membros inferiores, sensação de formigamento (parestesia) em alguns membros, tremores e contraturas. Em casos mais extremos, pode provocar dor abdominal, sudorese generalizada, taquicardia e retenção urinária.

Ações na Funed

Como o aparecimento da Viúva-marrom tem sido mais freqüente e devido ao tamanho da área verde no pátio da Fundação Ezequiel Dias (Funed), a equipe do Serviço de Animais Peçonhentos decidiu fazer uma varredura pela instituição. “Vamos fazer uma ação preventiva e de conscientização”, disse Rômulo Righi Toledo, chefe do Serviço.

Serão três momentos: ação de alerta (informativa), coleta de possíveis animais no pátio da Funed e controle químico com dedetização especial. A previsão é que isso seja feito no começo da próxima semana.

Texto: Amanda Matos

Atualizado em 02/01/2013